Estreito dos Mosquitos

Reparos de rachadura em ponte ainda não têm data

  •  

Dnit está concluindo parte burocrática e, depois, iniciará as obras na Ponte Marcelino Machado, sobre o Estreito dos Mosquitos; rachadura foi denunciada por O Estado, que alertou para riscos

0
Rachadura sob a Ponte Marcelino Machado foi analisada por técnicos
Rachadura sob a Ponte Marcelino Machado foi analisada por técnicos (Foto: Flora Dolores / O ESTADO)

O Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit) ainda não concluiu a fase burocrática que antecede o início da recuperação emergencial da Ponte Marcelino Machado, sobre o Estreito dos Mosquitos, na BR-135, em São Luís. As obras de reparo acontecem após O Estado denunciar, em primeira mão, a existência de uma rachadura na ponte, alertando para o risco de problemas maiores.

Segundo o órgão, a rachadura não representa perigos para o tráfego de veículos no local.
A ponte é a única ligação rodoviária entre a Ilha de São Luís – onde ficam os municípios de São Luís, São José de Ribamar, Paço do Lumiar e Raposa - e o continente, onde ficam os demais 213 municípios maranhenses.

No dia 22 de dezembro de 2016, o Dnit anunciou que realizará obras de recuperação da estrutura da ponte que está comprometida. Segundo o órgão, as obras serão iniciadas este mês, entretanto, ainda não há uma data exata para o início dos trabalhos. Sobre o início das obras, o Dnit informou que está tomando as providências para que as obras comecem ainda em janeiro e que a elaboração do projeto de recuperação determinará o cronograma de execução da obra.

O anúncio da execução das obras provocou questionamentos em alguns condutores que usam a ponte com frequência. Eles temiam que a ponte pudesse ser totalmente interditada durante os trabalhos, o que foi descartado pelo Dnit. De acordo com o órgão, haverá necessidade de interdição total da Ponte Marcelino Machado. Dependendo do projeto de restauração, a ponte pode ser interditada apenas parcialmente em uma faixa, para que os serviços possam ser realizados.

A empresa que for contratada para a execução das obras fará o reforço nos vãos e, durante a execução do contrato de emergência, vai elaborar um projeto para a recuperação de toda a estrutura da ponte. Posteriormente, serão executadas as obras previstas no projeto, mediante um processo de licitação.

Rachadura
A rachadura existente na Ponte Marcelino Machado foi denunciada por O Estado na edição do dia 5 de outubro. Na ocasião, o Conselho Regional de Engenharia e Agronomia do Maranhão (Crea­-MA) ressaltou que seria necessária uma vistoria in loco para se definir a gravidade da situação. No dia 27 de outubro, o Crea­-MA, Defesa Civil Estadual e Corpo de Bombeiros vistoriam a ponte e disseram que a situação é preocupante, que a construção está comprometida e que, se algo não for feito imediatamente, a estrutura pode ir a colapso.

Após a denúncia, o Dnit nacional enviou uma equipe técnica para vistoriar a estrutura da ponte. O trabalho foi realizado por um engenheiro projetista especialista em pontes, enviado pela Coordenação Geral de Manutenção e Restauração Rodoviária do Dnit Nacional. Ela retornou a Brasília ainda no dia da vistoria, 18 de novembro, para a análise dos dados coletados na vistoria.

Após a vistoria, o órgão constatou que não há riscos para os usuários da rodovia que trafegam pela ponte. Entretanto, considerando a deformação do tabuleiro (laje), que provoca a elevação das cargas móveis atuantes, as manifestações patológicas (deformações) encontradas e, ainda, as intervenções já realizadas na estrutura da ponte, o Dnit decidiu pela contratação de empresa, em caráter emergencial, para execução de reforços na estrutura dos dois vãos.

Cronologia dos fatos

Dia 5 de outubro: O Estado denuncia pela primeira vez rachadura na ponte, alertando para o risco de problemas maiores.
Dia 27 de outubro: Crea­-MA, Defesa Civil Estadual e Corpo de Bombeiros fazem vistoria técnica na ponte.
Dia 31 de outubro: Dnit/MA informa que fez vistoria no local.
Dia 9 de novembro: O deputado federal Hildo Rocha (PMDB/MA) se reúne com representante do Dnit de Brasília para discutir providências para a rachadura da ponte.
Dia 18 de novembro: Técnicos do Dnit de Brasília fazem vistoria na ponte. Laudo com o resultado da inspeção deve ficar pronto em 20 dias.
22 de dezembro: Dnit anuncia a execução de obras de reparo na ponte.

SAIBA MAIS

A ponte sobre o Estreito dos Mosquitos tem cerca de 450 metros de comprimento e por ela passam diariamente milhares de veículos, principalmente de carga. Conforme as análises, atualmente o fluxo de carros maiores, tais como carretas e bitrens, está contribuindo para que a rachadura aumente, por causa da trepidação que ocorre no local, bem maior do que em outras partes da ponte.

Leia mais notícias em OEstadoMA.com e siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram. Envie informações à Redação do Jornal de O Estado por WhatsApp pelo telefone (98) 99209 2564.