Funac no Aurora

Imóvel de comunista alugado pelo governo foi comitê do PCdoB em 2014

  •  
  •  

Prédio foi usado pelo então candidato a deputado estadual Julio Guterres, também do PCdoB, e como depósito de material de campanha do partido nas eleições

0
Imóvel que governo alugou por R$ 12 mil mensais foi o comitê do PCdoB
Imóvel que governo alugou por R$ 12 mil mensais foi o comitê do PCdoB (Foto: Reprodução de página de Internet)

Funcionou como um comitê de campanha do PCdoB, em 2014, o prédio alugado na Aurora pela Fundação da Criança e do Adolescente (Funac) – pasta ligada à Secretaria de Estado de Direitos Humanos e Participação Popular (Sedihpop) – para funcionar como anexo da Casa de Juventude Canaã, unidade de ressocialização de menores do Estado.

O prédio pertence Jean Carlos Oliveira, filiado ao PCdoB, mesmo partido do governador do Maranhão, Flávio Dino. Por ele, o Estado já pagou mais de R$ 170 mil, em parcelas mensais de R$ 12 mil – que, descontados impostos, caem a R$ 9,5 mil mensais.

Segundo registro fotográfico feito pela assessoria do também comunista Júlio Guterres - candidato a deputado estadual na eleição de 2014 pelo mesmo partido do governador -, na manhã do dia 30 de agosto de 2014 ocorreu no local uma reunião com educadores das redes estadual e municipal da região Anil/Aurora.

Do encontro, além do próprio Guterres e de correligionários, participou também, curiosamente, Jean Carlos Oliveira, proprietário do imóvel alugado um ano depois pelo governo do Estado para abrigar menores infratores.

O evento está fartamente documentado em uma página criada pelo então candidato a uma vaga na Assembleia Legislativa. Pelas imagens, é possível perceber que Jean Carlos tinha certa proximidade com Guterres, e dedicou-se até a registrar o ato – em fotos e vídeos - em dado momento do encontro.

A casa do comunista, no entanto, não serviu apenas para abrigar esse evento de Julio Guterres durante aquela campanha. Em entrevista a O Estado, Raimundo Costa, morador da rua onde fica localizado o anexo da Funac, disse que material de campanha do próprio Flávio Dino era guardado no local. E de lá distribuído na região.

“Eu trabalhei para o Jean nessa distribuição. O material gráfico era todo guardado aí dentro”, explicou Costa.

Sem férias – O governador Flávio Dino interrompeu ontem suas férias pela primeira vez para manifestar-se publicamente sobre o escândalo de favorecimento de um aliado pelo Executivo, a partir do aluguel de um imóvel de um membro do PCdoB pra abrigar um anexo da Funac.

Por meio de suas contas nas redes sociais ele garantiu que não teve qualquer participação no processo de escolha do imóvel negou que a escolha do local tenha tido motivação partidária.

"Só muita má fé ou ignorância para imaginar que uma simples casa foi alugada por uma Fundação do governo por ordem minha. E só muita má fé ou ignorância para imaginar que num processo de locação de imóvel em uma Fundação se faz pesquisa de filiação partidária. Imaginemos em um processo administrativo a realização de tal pesquisa de mera filiação partidária. Seria ilegal e estapafúrdio", publicou.

Dino disse que o Estado tem "dezenas de imóveis alugados em todo o Maranhão" e afirmou que durante a escolha de locais para aluguel não é realizada pesquisa de filiação partidária.

MAIS

Casa de festas

Embora esteja alugado para o governo Flávio Dino desde julho de 2015, o imóvel do comunista Jean Carlos Oliveira não foi ocupado pelo Estado pelo menos até a última quarta-feira, 4. Paralelamente, contudo, seguiu funcionando no local o Espaço Único Buffet. Uma placa do empreendimento, por sinal, segue erguida no local mesmo após a transferência de menores infratores para o novo anexo do Centro de Juventude Canaã.

Festas, nomeações e diárias compõem

pacote de benefícios ao PCdoB

Marco Aurélio D’Eça

Editor de Política

Além de aluguel de imóveis contratação de empresas vinculadas aos ideários comunistas, Flávio Dino tem usado a máquina do estado para favorecer diretamente artistas e políticos aliados ao seu projeto de poder. O exemplo mais recente foi a contratação, por quase R$ 60 mil, da sambista Leci Brandão, deputada estadual pelo PCdoB de São Paulo, para um show no réveillon.

O governador também liberou, para o mesmo réveillon, cerca de R$ 1 milhão para prefeitos de cinco municípios maranhenses – todos filiados ou vinculados ao PCdoB. O dinheiro para bancar o réveillon comunista foi retirado da Universidade Estadual do Maranhão (Uema).

Outra forma de aparelhamento estatal usado pelo governador Flávio Dino é a nomeação de camaradas partidários para as estruturas de poder. As nomeações quase sempre ocorrem na pasta do seu lugar-tenente, o poderoso secretário Márcio Jerry, que dirige o partido.

Só após as eleições, pelo menos 14 comunistas foram nomeados ou renomeados na estrutura da Secretaria de Comunicação e Articulação Política, a pasta de Jerry.

Boa parte destes nomeados fazem parte da chamada militância comunista. Para isso, uma outra máquina, a de pagamento de diárias, opera em favor da Secap. Só em 2016, foram mais de R$ 300 mil em diárias, segundo o portal da transparência do Governo do Estado.

Leia mais notícias em OEstadoMA.com e siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram. Envie informações à Redação do Jornal de O Estado por WhatsApp pelo telefone (98) 99209 2564.