Com tranquilidade

Todo cuidado é pouco ao presentear crianças no Natal, alerta especialista

  •  

Brinquedos podem esconder riscos, incluindo para os olhos; especialista aponta cinco cuidados para evitar acidentes

0
Foto: Divulgação

SÃO PAULO - É uma delícia dar e receber presentes de Natal. Mas quando o assunto é criança, é importante deixar o impulso de lado e avaliar os riscos que um brinquedo pode esconder. Somente nos Estados Unidos, ocorrem mais de 250 mil acidentes por ano envolvendo crianças e brinquedos.

Na metade deles o incidente atinge o rosto, principalmente os olhos. No Brasil, as vendas de brinquedos aumentam consideravelmente às vésperas do Natal. Na opinião de Renato Neves, diretor-presidente do Eye Care Hospital de Olhos, em São Paulo, é justamente nesta época que os adultos têm de pensar duas vezes antes de ceder à tentação de comprar um brinquedo aparentemente bacana.

“Pais e parentes devem checar os riscos que o brinquedo oferece antes de ceder à vontade das crianças. Artigos que vêm desmontados sempre podem causar problemas se a criança levar alguma parte à boca ou mesmo se uma peça se desprender e atingir os olhos. Também os brinquedos de propulsão, como alguns carrinhos e armas de ar ou de água, costumam fazer estragos. Abrasão da córnea, aumento da pressão ocular, e até mesmo uma catarata traumática podem ocorrer devido a esse tipo de acidente”, diz o médico.

Além de garantir que as crianças brinquem sempre com a supervisão de um adulto, Neves aponta cinco cuidados para evitar essas ‘tragédias de Natal’. Confira a seguir:


1 - Compre o presente pensando na criança, não em você. “Os adultos devem conter a ansiedade na loja de brinquedos e ter em mente que o presente deve corresponder à idade da criança. A maioria dos brinquedos traz a faixa etária indicada na embalagem. Ao desrespeitar esse limite, contribui para aumentar o risco de eventuais acidentes. Molas, dardos, arco e flecha, espadas, armas de pressão, carros de propulsão, bonecas desmontáveis e objetos pontiagudos têm alto potencial para provocar acidentes. Sendo assim, não devem chegar às mãos de crianças pequenas ou que costumam brincar longe dos adultos.”

2 - Não compre brinquedos piratas. “É importante valorizar as normas com que é o brinquedo é fabricado, bem como a idoneidade do fabricante e o manual de instruções. Peças em plástico rígido, que se soltam facilmente, podem atingir a vista de qualquer pessoa que estiver por perto – inclusive da criança.”

3 - Presentes esportivos devem ser acompanhados de protetores. “Ao comprar presentes esportivos, como bicicletas, skates, patins, raquetes e bolas, entre outros, garanta que a criança receba também os equipamentos de proteção, incluindo joelheiras, capacetes e – muito importante – óculos plásticos para proteger a visão em caso de quedas.”

4 - Ajude a criança a abrir o presente. “Apesar de ser um momento de extrema alegria, cuide para que a criança não se machuque ao tentar abrir sozinha o presente que recebeu, já que grampos e partes pequenas costumam se desprender quando a embalagem é aberta com entusiasmo. Mais um detalhe: não permita que os pequenos façam uso de tesoura ou faca para abrir a embalagem e montar seus presentes. É sempre bom que um adulto auxilie a criança nessa hora.”

5 - Em caso de acidente envolvendo os olhos, procure um serviço de urgência oftalmológica. “A primeira recomendação é procurar um serviço especializado com urgência, para que possa ser realizado um exame mais minucioso. Outra dica: enquanto o paciente é levado ao médico, é recomendável usar compressas geladas no local contundido, sem massagear ou esfregar. Já em caso de perfurações, o ideal é colocar uma proteção ao redor dos olhos, como um copo plástico, sem fazer pressão no olho afetado.”

Leia mais notícias em OEstadoMA.com e siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram. Envie informações à Redação do Jornal de O Estado por WhatsApp pelo telefone (98) 99209 2564.