Casamento

Namoro de Corte: jovens dão primeiro beijo no dia "sim"

O casal Rayane e Ivan, hoje, casados, namoraram em santidade por um ano e cinco meses.
Diana Cardoso / Imirante Imperatriz02/06/2015 às 07h08
O casal Rayane e Ivan, hoje, casados, namoraram em santidade por um ano e cinco meses. (Foto: Daniela Kemie/Divulgação)

IMPERATRIZ – Atualmente, o ‘namoro de corte’, um relacionamento sem carícias, beijo na boca e sexo, tem se tornado uma prática comum entre alguns evangélicos. Em Imperatriz, o joven Ivan Alves da Silva Junior, imperatrizense, de 26 anos, e a estudante Rayane Zocatelli, de 22 anos, natural de Marabá (PA), fizeram esta escolha.

O casal Rayane e Ivan, hoje, casados, namoraram em santidade por um ano e cinco meses. (Foto: Daniela Kemie/Divulgação)

Ivan e Rayane se conheceram na igreja Nova Aliança, onde congregam há mais de três anos. Eram amigos, e começaram um namoro em santidade, após um retiro espiritual. Eles firmaram um compromisso com Deus, com a igreja e com eles próprios de dar o primeiro beijo e ter relação sexual somente após o casamento.

O casal Rayane e Ivan, hoje, casados, namoraram em santidade por um ano e cinco meses. (Foto: Daniela Kemie/Divulgação)

Após um ano e cinco meses de namoro, os dois se casaram no dia 16 de maio de 2015, em Marabá (PA). Quando questionado sobre o que sente pela esposa, Ivan Junior diz com brilho nos olhos. “Tenho certeza que a Rayane é a mulher que Deus mandou pra mim, porque Ele nos colocou em oração. Até o meu pai quando olhou, disse: esta é a mulher que meu filho vai casar. E com o tempo, com carinho e atenção um com o outro, Deus trouxe esta confirmação”, derrete-se ao comentar, Ivan Junior.

O casal Rayane e Ivan, hoje, casados, namoraram em santidade por um ano e cinco meses. (Foto: Daniela Kemie/Divulgação)
O casal Rayane e Ivan, hoje, casados, namoraram em santidade por um ano e cinco meses. (Foto: Diana Cardoso/Imirante Imperatriz)

Rayane Zocatelli, também, diz com convicção que Ivan é o grande amor de sua vida, a pessoa que Deus preparou para casar e formar uma família. “O namoro é tempo que a gente tem esta certeza, dialogamos e oramos muito. A espera é o tempo em que Deus fala conosco, e temos as confirmações, aceitação de pai, mãe, amigos e da família. É a resposta de Deus. E foi o Ivan que esperei para me relacionar, casar, ter uma família”, diz a jovem.

O casal Rayane e Ivan, hoje, casados, namoraram em Corte por um ano e cinco meses. (Foto: Daniela Kemie/Divulgação)

Outros relacionamentos

Tanto Ivan quanto Rayane tiveram outros relacionamentos, inclusive namoros, antes de se conhecerem. “Antes de conhecer o Junior tive outros namorados, algo normal, frequentava a igreja, mas não era evangélica”, explica estudante Rayane, acrescentando, também, como funciona o namoro de corte.

O casal Rayane e Ivan, hoje, casados, namoraram em santidade por um ano e cinco meses. (Foto: Daniela Kemie/Divulgação)

“Não é obrigatório, é uma escolha nossa. Andamos de mãos dadas, abraçamos, beijamos no rosto. Mas não temos relação sexual, nem beijamos na boca. Mas, por outro lado, a gente brinca, conversa. Esta é a diferença. Escolher fazer sexo e beijar na boca só após o tão esperado sim”, lembra.

Obediência

Os jovens antes do casamento dialogavam e oravam bastante, também, como uma forma de se conhecerem melhor. “Eu fiquei muito feliz, como falei, ela foi a minha namorada em corte, me senti privilegiado em poder proporcionar isso a ela. É algo que Deus tem colocado em nossas vidas e a nossa obediência tem acrescentado muitos frutos, crescemos muito juntos”, ressalta Ivan Junior.

O casal Rayane e Ivan, hoje, casados, namoraram em santidade por um ano e cinco meses. (Foto:/Divulgação)

“Temos muitos amigos da igreja que também fizeram esta escolha. Nosso pastor ensina e aconselha os jovens a namorarem em santidade, como uma forma de evitar relacionamentos frustrados”, lembra a estudante Kelly. Em relação ao desejo de se tocarem antes do casamento, Ivan Junior confessa que é um pouco complicado, mas que em a obediência a Deus, é possível superar esta vontade e conhecer melhor a pessoa amada.

“Não ficamos apenas no desejo de se tocar e se beijar, mas, sim de conhecer um a outro melhor, saber os defeitos, as qualidades. Eu sei do que ela gosta, ela também sabe dos meus gostos. É fundamental, afinal é uma escolha para o resto da vida. O conhecer, é o que traz o desejo de querer conviver ao lado da pessoa amada”, explica Junior.

O casal Rayane e Ivan, hoje, casados, namoraram em santidade por um ano e cinco meses. (Foto: Daniela Kemie/Divulgação)

O casal dá uma dica de como o conviveu com o desejo de se tocar e beijar. “Sentimos vontade sim, mas, o compromisso assumido é maior. A estratégia era evitar ficar muito tempo sozinhos, estarmos com amigos”, relembra Ivan.

Leia também:

Jovem faz pedido de casamento em Noite Católica da Expoimp

Jovem é surpreendida com pedido de namoro em público

Leia outras notícias em PortalNamira.com. Siga, também, o Imirante no Twitter, Instagram, curta nossa página no Facebook e se inscreva no nosso canal no Youtube. Envie informações à Redação do Portal por meio do WhatsApp pelo telefone (98) 99209-2383.

© 2018 - Todos os direitos reservados.