Em São Luís

Concorrente da Uber começa a fazer corridas em São Luís a partir desta semana

  •  
  •  

Usuários da capital já podem baixar o aplicativo Yet GO, disponível para em qualquer smartphone com sistemas operacionais Android ou iOS

Yet GO oferecerá corridas em São Luís a partir de sexta-feira
Yet GO oferecerá corridas em São Luís a partir de sexta-feira (Foto: Thamirys D'Eça / O ESTADO)

SÃO LUÍS - A partir de sexta-feira (20), o aplicativo Yet GO passará a fazer corridas na capital maranhense. Concorrente da Uber, o aplicativo que conecta condutores e passageiros por meio do smartphone garante um preço de 40% até 70% mais barato, dependendo do serviço solicitado pelo cliente.

Em entrevista para OEstadoMA.com, o diretor de operações do Yet GO, Yuri Mota, afirmou que os usuários já podem baixar o aplicativo, disponível para qualquer smartphone com sistemas operacionais Android ou iOS.

O aplicativo cobra uma tarifa de R$ 1,70 por Km para o carro comum e R$ 2,00 para o carro de luxo. A tarifa base será de R$ 3,00 e R$4,00, respectivamente. Se os valores forem comparados aos de um táxi comum rodando em Bandeia 1, o usuário tem uma economia de cerca 40%. O desconto é ainda maior, de até 70%, se a comparação for feita com base na tabela de preço de táxis de aeroporto.

As corridas são pagas por meio de cartão de crédito, dinheiro ou de créditos inseridos na conta. Para garantir a sua segurança e a do motorista, o pagamento em dinheiro é liberado somente após a confirmação do endereço, através do envio de uma correspondência com um código de ativação a ser informado no aplicativo do passageiro.

Até o fim de semana, mais de 700 motoristas já haviam se cadastrado para realizar corridas em São Luís. "A procura está muito boa e a cada dia esse número aumenta", considerou Yuri Mota. Ele ressalta que o aplicativo não surgiu para entrar em conflito com taxistas. "A Yet GO não surgiu para ser inimiga dos taxistas, muito pelo contrario, tanto que o serviço de táxi existe na nossa plataforma e temos muitos cadastros de taxistas ativos no aplicativo. Inclusive já fechamos parcerias com cooperativas de táxis em outras cidades onde estamos atuando.

Outras cidades maranhenses

De acordo com Yuri Mota, A intenção é que o aplicativo se expanda até o segundo trimestre deste ano para outras cidades do Maranhão: São José de Ribamar, Imperatriz, Timon, Caxias, Codó, Paço do Lumiar, Açailândia, Bacabal e Chapadinha.

O aplicativo

A Yet GO, franquia genuinamente brasileira, é um aplicativo de mobilidade urbana que utiliza a tecnologia para facilitar serviços de grande necessidade do dia a dia, como serviço de moto ou carro. Além disso, é uma plataforma que usa tanto carro comum, como carro de luxo para transporte.

Ele tem sede em Belo Horizonte e já possui atuação em Belém, Porto Alegre e Cuiabá, dentre outras cidades.

Concorrentes

Na semana passada uma publicidade da Uber causou frisson entre os internautas ludovicenses. Usando uma imagem de São Luís, o aplicativo fez um convite aos motoristas para que se inscrevam para trabalhar no aplicativo. O assunto imediatamente repercutiu nas redes sociais entre os que aguardam pela chegada da plataforma que conecta condutores e passageiros por meio do smartphone.

Enquanto o Uber não começa a fazer corridas em São Luís, um dos seus rivais, o Easy Taxi, que já atua na capital, começou a oferecer viagens com um preço diferenciado. No aplicativo agora já é possível optar pelo Easy Economy, que dá até 30% de desconto na corrida. O pagamento com abatimento do valor é feito por meio do cartão de crédito e o preço é gerado automaticamente pelo próprio aplicativo.

Proibição

No mês de julho de 2016, um projeto de lei que proíbe o Uber de atuar em São Luís foi aprovado por unanimidade pelos parlamentares presentes em sessão na Câmara de Vereadores. Em seguida, ele foi encaminhado ao prefeito Edivaldo Holanda Júnior (PDT) para sanção, o que não ocorreu. Sem apreciação do prefeito de São Luís, a até então vereadora Luciana Mendes - que não conseguiu de reeleger - solicitou que a presidência da Casa sancionasse o projeto.

"Todas essas leis municipais que surgiram acabaram sendo derrubadas, pois são inconstitucionais", avaliou Yuri Mota.

Leia mais notícias em OEstadoMA.com e siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram. Envie informações à Redação do Jornal de O Estado por WhatsApp pelo telefone (98) 99209 2564.