Decisão judicial

Após oito dias preso, empresário Pacovan é solto pela Justiça

Pacovan foi preso pela Polícia Civil no dia 4 de maio, na “Operação Jenga”.
Imirante.com12/05/2017 às 22h55

SÃO LUÍS - O juiz Flávio Roberto Ribeiro Soares, da Central de Inquéritos, indeferiu o pedido de prisão temporária em prisão preventiva do agiota e empresário Josival Cavalcante da Silva, conhecido como “Pacovan”, na noite desta sexta-feira (12). Pacovan foi preso pela Polícia Civil no dia 4 de maio, na “Operação Jenga”, junto com outras 17 pessoas, que foram apresentadas no auditório da Secretaria de Segurança Pública. O prazo de prisão temporária encerrou neste sábado (13).

Pacovan, de acordo com as investigações, é chefe de uma quadrilha que possui cerca de R$ 200 milhões em bens e serviços, que incluem fazendas, imóveis, veículos e postos de combustíveis que funcionavam em três municípios. O agiota e empresário já foi preso sete vezes.

De acordo com a Polícia Civil, Pacovan era chefe de uma quadrilha especializada em lavagem de dinheiro por meio de uma rede de postos de combustível. O esquema tinha o envolvimento da mulher dele, Edna Maria Pereira, e de outros familiares, que aparecem como donos de empresas utilizadas na ação criminosa.

Leia outras notícias em Imirante.com. Siga, também, o Imirante no Twitter, Instagram, curta nossa página no Facebook e se inscreva no nosso canal no Youtube. Envie informações à Redação do Portal por meio do WhatsApp pelo telefone (98) 99209-2383.

© 2017 - Todos os direitos reservados.